Nosso Blog

Muitas novidades estão acontecendo na Ignilife, eis aqui as mais recentes.

GAMIFICAÇÃO E SAÚDE: ENTENDA COMO ESSA RELAÇÃO PODE FUNCIONAR

10 jan 2019

GAMIFICAÇÃO E SAÚDE: ENTENDA COMO ESSA RELAÇÃO PODE FUNCIONAR

A gamificação é uma tendência forte no mundo corporativo, e consiste em usar elementos dos jogos para alavancar resultados. Ela já é usada no chão de fábrica, no setor comercial e em outras áreas e atividades; porém, existe uma combinação poderosa e bem menos aparente: gamificação e saúde.

Sim, a gamificação pode ser utilizada para melhorar os índices de saúde entre os seus colaboradores, com reflexos positivos na motivação e produtividade.

Mas como funciona essa relação na prática? Neste post, vamos explicar tudo sobre essa novidade. Continue conosco e entenda! Boa leitura!

O que é a gamificação?

O termo gamificação foi criado em 2002 pelo programador e designer de jogos eletrônicos Nick Pelling. A expressão só começou a ser utilizada mais amplamente a partir de 2010, especialmente pelas empresas do Vale do Silício. No entanto, a gamificação em si, mesmo não sendo tratada pelo nome, já é praticada há muito tempo.

Basicamente, a gamificação consiste em aplicar elementos presentes nos jogos eletrônicos para engajar as pessoas. Você já reparou que ações como acumular pontos, vencer fases, ganhar recompensas e subir no ranking são elementos que fazem com que você fique vidrado, jogando por horas até “zerar” o game? Pois esses mesmos elementos podem ser aplicados em atividades fora dos jogos.

Qual é o potencial da gamificação?

A gamificação, como já foi dito, tem o poder de aumentar o engajamento em uma atividade e manter esse empenho por mais tempo. Por isso, ela pode ser utilizada para envolver a equipe com as metas estabelecidas pelos gestores nas empresas. A meta, em si, sai de foco: ela não é tão importante quanto a sensação de gratificação que os colaboradores têm quando atingem cada pequena vitória conquistada pelo caminho.

Qual é a relação entre gamificação e saúde?

Então, como a gamificação pode melhorar a saúde na sua organização? Ela pode ser utilizada para engajar os colaboradores com metas voltadas à adoção de hábitos mais saudáveis. Vamos entender melhor com um exemplo prático?

Ficar 8 horas na frente do computador não é bom para a visão. Então, o gestor pode criar um jogo: fazer uma pausa de 10 minutos a cada 4 horas. Cumprindo essa meta no primeiro dia, o colaborador ganha 1 ponto. Atingindo o objetivo por 5 dias seguidos (isto é, uma semana de trabalho), ele ganha 50 pontos. Se mantiver o hábito por um mês inteiro, ele ganha 100 pontos. A cada mês, o ranking é atualizado e é feita uma pequena homenagem para o vencedor. Ao final do semestre ou do ano, o colaborador que estiver no topo do ranking ganha um prêmio.

Esse mesmo esquema básico pode ser adotado para qualquer outro hábito que ajude a melhorar a saúde no ambiente de trabalho. Além disso, também podem ser acrescentados elementos para tornar o jogo mais complexo. Que tal retirar pontos pelos maus hábitos?

Quais são as boas práticas da gamificação?

Controlar os hábitos de toda a equipe pode ser difícil, então, uma boa prática é adotar uma ferramenta de gamificação. Existem aplicativos que permitem que o usuário cadastre costumes específicos e registre cada vez que fizer aquela ação. Dessa forma, os colaboradores podem controlar individualmente o seu próprio progresso e apenas relatar periodicamente ao gestor.

Além disso, é importante criar etapas ou fases para o jogo. A cada fase, o desafio deve ficar mais difícil. Assim, os colaboradores continuam interessados em participar.

A parceria entre gamificação e saúde tem potencial para se tornar uma grande tendência em SST, visto os grandes benefícios que ela traz para todas as partes envolvidas. Então, que tal ser uma das primeiras empresas a adotar essa estratégia?

Gostou do conteúdo deste artigo? Então, compartilhe o post com seus contatos nas redes sociais e dissemine essa novidade!