Nosso Blog

Muitas novidades estão acontecendo na Ignilife, eis aqui as mais recentes.

O que é Felicidade Interna Bruta (FIB) e como ela impacta as finanças?

18 fev 2019

O que é Felicidade Interna Bruta (FIB) e como ela impacta as finanças?

Para muitos funcionários, voltar ao trabalho é sinônimo de desânimo e frustração. Nesses casos, há um grande indicativo de que a Felicidade Interna Bruta (FIB) desses profissionais está baixa. Mas o que isso significa exatamente?

Negligenciar a felicidade no ambiente de trabalho não é uma opção. Por isso, investir em empresas mais acolhedoras e prazerosas de trabalhar é indispensável para impulsionar a motivação das equipes e alcançar resultados melhores.

Fique conosco e descubra o que é a Felicidade Interna Bruta (FIB), por que utilizar esse indicador e muito mais. Vamos lá?

O que é Felicidade Interna Bruta?

O Produto Interno Bruto (PIB) mensura a riqueza ou a atividade econômica de uma nação. Para isso, ele calcula resultados obtidos da indústria, serviços, agropecuária e dos consumos de famílias, governo e empresas privadas, além das exportações e importações.

Mesmo assim, esse índice desconsidera fatores importantes de satisfação das pessoas. Por isso, foi criado o índice de Felicidade Interna Bruta (FIB), que analisa a felicidade de uma população para além do seu crescimento econômico. Ele leva em conta aspectos psicológicos, culturais, de saúde e muitos outros.

Tudo isso foi criado em 1972, por Jigme Singya Wangchuck, o rei do Butão. Para ele, a análise do crescimento de um país deveria considerar seu desenvolvimento como um todo, e não apenas a perspectiva econômica.

Por que utilizar esse indicador?

Como você viu, o índice de Felicidade Interna Bruta foi utilizado pela primeira vez em uma nação. Mas, assim como nos países, é um equívoco medir o crescimento de uma empresa apenas com base em seus indicadores financeiros.

As empresas são compostas por pessoas e elas trazem consigo motivações ligadas a diferentes aspectos da vida. Assim, é importante se manter atento ao seu indicador de felicidade, para que elas estejam motivadas e satisfeitas com o trabalho.

O que considerar para medir o FIB?

São nove os fatores utilizados para medir a Felicidade Interna Bruta (FIB). Conheça-os a seguir:

  1. bem-estar psicológico — avalia as emoções de um indivíduo sobre sua vida, sua autoestima, autoconfiança, estresse, otimismo e sensação de competência;
  2. saúde física — confere a eficácia das políticas de saúde por critérios como a avaliação de comportamentos arriscados, nutrição, qualidade do sono e prática de exercícios;
  3. uso do tempo — qualifica o tempo de lazer e de interação social com a família e amigos, considerando tempo gasto no trabalho, trânsito e educação;
  4. vitalidade comunitária — analisa os relacionamentos e as interações com a comunidade, levando em conta o nível de confiança e segurança na comunidade e nas pessoas, qualidade dos relacionamentos afetivos, sensação de pertencimento e prática de voluntariado;
  5. educação — examina a participação na educação formal e informal, o desenvolvimento de competências, os valores em educação, a educação ambiental e a participação na educação dos filhos;
  6. cultura — verifica as tradições locais, a participação em eventos culturais, o desenvolvimento artístico, os índices de discriminação;
  7. meio ambiente — reflete sobre os indicadores de áreas verdes, educação ambiental, sistema de coleta de lixo, percepção social sobre a qualidade da água, do solo, do ar e da biodiversidade;
  8. governança — observa a percepção da população sobre o governo, canais midiáticos, sistema judiciário, eleitoral, de segurança pública, cidadania e envolvimento dos cidadãos na política;
  9. padrão de vida — considera a renda familiar e individual, nível de endividamento, segurança financeira e qualidade das habitações.

Para medir esse índice nas empresas, é necessário realizar algumas adaptações, como você pode conferir a seguir.

Como medir o índice de FIB?

Levar essas nove dimensões para a empresa exige certa criatividade ao adaptar alguns detalhes. Confira como avaliá-las no negócio:

  • força econômica — qualidade do salário e remuneração;
  • bem-estar ambiental — qualidade e conforto do ambiente de trabalho;
  • satisfação no trabalho — nível de bem-estar e felicidade com as atividades;
  • saúde física — atividades que permitam a manutenção da saúde e relaxamento;
  • saúde mental — mensuração do nível de estresse na equipe;
  • bem-estar político — confiança na gestão da empresa e sensação de pertencimento;
  • felicidade social — grau de respeito e apreço entre os membros da equipe.

Também é possível avaliar o valor social da empresa na comunidade, compondo mais uma dimensão da Felicidade Interna Bruta (FIB).

Quais as vantagens para as empresas em medir o FIB?

A FIB não desconsidera os lucros da empresa, mas entende a importância de medir o bem-estar das equipes para alcançar resultados melhores. Com isso, ela alcança vantagens como:

  • permanência dos profissionais na empresa;
  • engajamento e dedicação;
  • aumento da produtividade;
  • avaliações de desempenho mais positivas;
  • ideias criativas e empenho na busca por soluções de problemas;
  • menor taxa de adoecimento, faltas, estresse e sobrecarga;
  • redução de reclamações e mais proatividade.

Como você viu, a Felicidade Interna Bruta (FIB) é capaz de gerar benefícios importantes para a empresa e mudar a forma como ela percebe seus colaboradores. Se você quer ler mais conteúdos como este, siga-nos no Twitter e no LinkedIn e fique por dentro dos nossos posts!