Nosso Blog

Muitas novidades estão acontecendo na Ignilife, eis aqui as mais recentes.

Gestão orientada por dados para avaliar a saúde da equipe: entenda aqui!

24 jan 2019

Gestão orientada por dados para avaliar a saúde da equipe: entenda aqui!

O uso combinado de inteligência artificial e dados relevantes tem provocado uma série de transformações na forma como as pessoas adquirem produtos e usufruem serviços. A economia compartilhada, por exemplo, é um dos casos que vêm impactando o cenário de consumo. Com a adoção da gestão orientada por dados, as empresas conseguem oferecer serviços personalizados, que diferenciam a entrega para seus clientes, gerando valor e aumentando a eficácia do negócio.

Os impactos podem ser percebidos em vários níveis da organização, não só pelos clientes. Em uma gestão orientada por dados, toda a empresa nota a melhora em relação à tomada de decisões mais estratégicas e ao acesso a informações relevantes para o dia a dia de trabalho, o aumento da qualidade nas pequenas entregas diárias e até mesmo na motivação e satisfação dos colaboradores.

Se você quer entender um pouco mais sobre gestão orientada por dados e como ela pode beneficiar a sua empresa, continue conosco. Neste artigo vamos explicar o que é essa abordagem e como ela funciona, na prática. Boa leitura!

O que é gestão orientada por dados?

A gestão orientada por dados é uma prática pela qual as empresas optam, estrategicamente, para gerar inovações e melhorias com base em informações geradas pelo seu próprio público, seja ele externo ou interno. Seu maior objetivo é reunir uma quantidade suficiente de dados para transformá-los em informações relevantes para o negócio e, assim, utilizá-las de forma sistemática para solucionar problemas.

No entanto, não basta sair coletando uma série de dados aleatórios na intenção de combiná-los. Quanto mais atualizados eles forem, maior será a eficácia das decisões tomadas com base neles. Assim, o mais indicado é focar naquelas informações que poderão ser comparadas ao longo do tempo, de forma que a empresa tenha chance de verificar se as ações adotadas sobre determinada questão surtiram ou não o efeito desejado.

Para isso, podem ser estabelecidas metas de qualidade, satisfação e produtividade, por exemplo. Se essas medições forem bem implantadas, de qualidade e transparentes, geram a confiança necessária para promover aprendizado e melhorar os procedimentos já existentes.

Como funciona esse formato de gestão na prática?

Existe uma sequência de práticas que podem ser adotadas para facilitar a implementação de uma gestão orientada por dados. Você pode conferir a seguir.

Tenha uma cadeia de fornecimento de dados

É preciso unificar a fonte dos dados que serão analisados. Isso significa que deve haver uma única versão deles que, quando analisada por departamentos diferentes, gerem os mesmos valores. Além disso, uma cadeia de fornecimento de dados bem elaborada, mantém as equipes atualizadas sobre os dados que estão tratando, garantindo que eles representem a realidade.

Utilize modelos e categorias de dados

É importante distinguir adequadamente cada categoria de dados de acordo com o foco da área. Por exemplo: clientes, prospects, colaboradores etc. Assim, será possível gerar os modelos de campos que devem ser preenchidos, criando um padrão na coleta dos dados.

Estabeleça um dicionário de dados

Na gestão orientada por dados, é possível que uma equipe esteja muito familiarizada com alguns termos, mas nem todos consigam acompanhar. Por isso, é importante definir claramente cada termo utilizado para que não aconteçam distorções no tratamento e interpretação dos dados, além de ajudar muito na educação dos novos colaboradores.

Promova o conhecimento de dados

Invista na gestão orientada por dados criando condições para que todos entendam sobre o assunto. Desenvolva as equipes com treinamentos relevantes, eduque os colaboradores para utilizarem dados no dia a dia de trabalho, estimule os profissionais a acompanharem os dados do mercado. Tudo isso facilita a rotina de trabalho, a tomada de decisão e ajuda a equipe toda a caminhar em conjunto.

Quais são os benefícios gerados para o negócio?

Como você já viu até aqui, a gestão orientada por dados contribui significativamente para a estratégia empresarial. Mas o que isso significa, exatamente? Isso quer dizer que essa prática:

  • aproxima a tomada de decisão das necessidades reais da empresa;
  • aumenta a precisão das informações disponíveis;
  • promove uma atuação proativa em vez de reativa em relação às tendências de mercado;
  • ajuda a conhecer melhor o público interno (satisfação, motivação, bem-estar, saúde etc.);
  • organiza os dados para uso sistemático e ágil;
  • explora perspectivas que vão além do aspecto físico da empresa;
  • identifica padrões de comportamento;
  • permite que o gestor dedique mais tempo à estratégia do negócio do que “apagando incêndios”.

Um aspecto importante é que a gestão orientada por dados pode ser utilizada para administrar e avaliar a saúde dos funcionários, evitando transtornos como desmotivação, insatisfação e absenteísmo. Tudo isso porque a coleta de dados permite identificar, por exemplo:

  • o cansaço habitual pelo excesso do uso do computador;
  • o desconforto em posições e movimentos repetitivos;
  • o impacto do clima organizacional no humor dos funcionários;
  • a suficiência do tempo de intervalo para a manutenção de uma boa qualidade de vida;
  • a disponibilidade e viabilidade para a prática de exercícios físicos;
  • o resultado, em curto, médio e longo prazo, de exames médicos dos colaboradores.

Como você pôde ver, a gestão orientada por dados traz inúmeros benefícios para a empresa, uma vez que, identificando precisamente como é a rotina e a dinâmica organizacional, a implementação de melhorias traz resultados muito mais certeiros.

Gostou da leitura? Nosso artigo foi útil para você? Então, que tal ficar por dentro de mais conteúdos como este? Siga o nosso perfil no Linkedin e acompanhe de perto todos os nossos posts!